segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A Felicidade





Imagem de: ciênciadafelicidade.org

Não existe um caminho para a felicidade.
A felicidade é o caminho!
Assim, aproveite todos os momentos que você tem.
Aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar, especial o suficiente para passar seu tempo....
e lembre-se que o tempo não espera ninguém.
Portanto, pare de esperar...
... até que você termine ou volte para a faculdade;
... até que você perca ou ganhe 5 quilos;
... até que você tenha tido filhos ou até que eles tenham saído de casa;
... até sexta à noite ou até segunda de manhã;
... até que você tenha comprado uma casa nova ou até que ela tenha sido paga;
... até o próximo verão, primavera, outono, inverno;
... até que você morra
... até que nasça de novo
... não há hora melhor para ser feliz...
...do que AGORA MESMO !
A Felicidade é uma viagem, não um destino.
Por isso...
"Trabalhe como se você não precisasse de dinheiro;
Ame como se nunca tivesse se machucado
e dance como se ninguém estivesse te olhando!!!"
(Autor Desconhecido)

sábado, 24 de novembro de 2012

A Verdade



"Certa vez um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes.
Ele acordou assustado e mandou chamar um sábio para que interpretasse seu sonho.
"Que desgraça, senhor!"  - exclamou o sábio.
"Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade!"
"Mas que  insolente!", gritou o sultão.
"Como se atreve a dizer tal  coisa?!"
O sultão chamou os guardas e mandou que lhe dessem cem chicotadas.
Ordenou, em  seguida, que chamassem outro sábio, para interpretar o mesmo sonho.
O outro sábio disse:
- Senhor, uma grande  felicidade vos está reservada!!!
O sonho indica que irá viver mais que todos os vossos parentes!
A fisionomia do  sultão iluminou-se e ele mandou dar cem moedas ao sábio.
Quando este saía  do palácio, um cortesão perguntou:
- Como é possível?
A  interpretação que você fez foi a mesma do seu colega e, no entanto, ele levou  chicotadas e você moedas de ouro!
- Lembre-se sempre, amigo -  respondeu o sábio - que tudo depende da maneira de dizer as coisas.
E  esse é um dos grandes desafios da humanidade!
É daí que vem a  felicidade ou a desgraça;
a paz ou a guerra.
A verdade sempre deve ser dita, não resta a menor dúvida, mas a forma como ela é dita é que faz toda a  diferença.

                     (Textos Fantásticos selecionados por Albertino Fernandes)

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

domingo, 18 de novembro de 2012

Sobre a paixão



Paixão
Recados Animados para o Facebook!


 Andei pensando... por que quando a paixão toma conta do nosso coração a gente se  sente tão incapaz  de controlar o turbilhão de emoções que desabrocha dentro de nós? Você gela, transpira, esquenta, coração acelera, as mãos tremem, as pernas quase não se aguentam em pé, talvez a pressão arterial se eleve ou mesmo diminua (não dá pra saber) à simples visão do ente querido! Tem mais! A boca seca, a garganta trava, as palavras não fluem como deveriam porque você está diante  da pessoa amada e pensando nela naquele instante. Nos olhos as pupilas se dilatam e eles ficam mais brilhantes do que de costume. E nem precisa estar diante da pessoa amada para sentir tudo isso! Basta pensar nela e tudo acontece.
 Como são interessantes as emoções! Quando se é correspondido deve ser maravilhoso viver uma experiência assim! Quando não se é correspondido viver coisa tamanha é doloroso. É de pedir a Deus que arranque esse sentimento do peito, mas deixe só um pouquinho para não esquecer como é bom amar! 

Como podemos gostar tanto de alguém que mal conhecemos ? Por que não podemos direcionar o sentimento de amor para outra pessoa? Amar traz infelicidade? Você acha que  amar é doar-se sem esperar nada em troca? Ou a felicidade depende dessa permuta emocional? Fico imaginando como seria se duas pessoas sentissem as mesmas coisas uma pela outra, com a mesma intensidade! Acho que seria... sem palavras.
                                       

quinta-feira, 15 de novembro de 2012



Senti meu coração bater mais forte ao pensar nele. Me toquei que o meu objetivo era de compreender o amor. Sabia que estava viva quando tive meu primeiro tombo e eu sei que tudo que tenho agora foi porque eu acreditei em mim, acreditei no amor que eu poderia sentir por alguém.  Embora meu objetivo seja de compreender o amor e embora sofra por causa das pessoas a quem entrego meu coração, vejo que aqueles que me tocaram a alma, não conseguiram despertar meu corpo e aqueles que tocaram meu corpo, não tiveram a capacidade de atingir minha alma.
Autor Desconhecido.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Frases de Shakespeare





O amor não se vê com os olhos, mas com o coração.

Todos podemos controlar a dor, exceto aquele que a sente.
Não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso.

                                     William Shakespeare

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O medo do Amor





Medo de amar? Parece absurdo, com tantos outros medos que temos que enfrentar: medo da violência, medo da inadimplência, e a não menos temida solidão, que é o que nos faz buscar relacionamentos. Mas absurdo ou não, o medo de amar se instala entre as nossas vértebras e a gente sabe por quê.

O amor, tão nobre, tão denso, tão intenso, acaba. Rasga a gente por dentro, faz um corte profundo que vai do peito até a virilha, o amor se encerra bruscamente porque de repente uma terceira pessoa surgiu ou simplesmente porque não há mais interesse ou atração, sei lá, vá saber o que interrompe um sentimento, é mistério indecifrável. Mas o amor termina, mal-agradecido, termina, e termina só de um lado, nunca se encerra em dois corações ao mesmo tempo, desacelera um antes do outro, e vai um pouco de dor pra cada canto. Dói em quem tomou a iniciativa de romper, porque romper não é fácil, quebrar rotinas é sempre traumático. Além do amor existe a amizade que permanece e a presença com que se acostuma, romper um amor não é bobagem, é fato de grande responsabilidade, é uma ferida que se abre no corpo do outro, no afeto do outro, e em si próprio, ainda que com menos gravidade.

E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta, definhamos em público, encolhemos a alma, quase desejamos uma violência qualquer vinda da rua para esquecermos dessa violência vinda do tempo gasto e vivido, esse assalto em que nos roubaram tudo, o amor e o que vem com ele, confiança e estabilidade. Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido, músicas idiotas nos fazem chorar dentro do carro.

Passa a dor do amor, vem a trégua, o coração limpo de novo, os olhos novamente secos, a boca vazia. Nada de bom está acontecendo, mas também nada de ruim. Um novo amor? Nem pensar. Medo, respondemos.

Que corajosos somos nós, que apesar de um medo tão justificado, amamos outra vez e todas as vezes que o amor nos chama, fingindo um pouco de resistência mas sabendo que para sempre é impossível recusá-lo.
Martha Medeiros