sábado, 30 de outubro de 2010

MÃOS

Outro dia, caminhando pela rua, me detive em um par de mãos. Eram mãos que seguravam o volante de um carro com uma firmeza que eu seria capaz de sentir, como se eu fosse o próprio volante. Visualizei-as um pouco mais (pois não conseguia tirar os olhos delas) e pensei com meus botões: reconheceria essas mãos em qualquer lugar!" Eram as mesmas que um dia massagearam os meus ombros e aqueles polegares que agora tamborilavam uma música qualquer naquele volante, eram os mesmos que, em meio a massagem, deslizaram pela minha nuca. Aquelas eram mãos médias, porém fortes e precisas. Eram mãos treinadas pela labuta diária! Ah!........Aquelas mãos! Seriam as mesmas que um dia me envolveram em um abraço demorado e apaziguador? Seriam as mesmas que um dia,cheias de cerimônia,me puxaram para si desencadeando num longo, terno e forte abraço? Seriam as mesmas que me seguraram com firmeza, impedindo que eu me desvencilhace de um abraço? Seriam as mesmas que, posteriormente, me segurando forte os ombros repeliram meus carinhos? Eu estava certa que sim. Só havia uma maneira de ter certeza: olhando para o dono daquelas mãos. Tudo isso aconteceu em fração de segundos. Então, me enchi de coragem e desviei meus olhos para o antebraço, depois para o braço e finalmente visualizei o rosto. Era o rosto do meu amado! Seus olhos pareciam me censurar por algo que nem sei se fiz ou se deixei de fazer. Então, gelei! Minhas mãos,minha espinha, tudo em mim gelou. Me senti a própria adolescente ( que ridículo )! Mas gostei dessa sensação! Diante daquele olhar perscrutador, não tive outra opção, a não ser de seguir adiante levando na lembrança o calor daquelas mãos.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Que Sorte!

                           

Borboletas
Gostou do recado? Clique aqui!
Página inicial do Justin Bieber, Luan Santana e Lady Gaga!!!



            Sou mesmo uma pessoa de sorte...
            Ontem estava no shopping tomando um capuccino quando, repentinamente, veio ao meu encontro, uma linda e enorme borboleta, fez uma acrobacia em torno da minha cabeça e foi embora,  saindo do shopping da mesma maneira que entrou. Fiquei en-can-ta-da!
Beijinhos...

sábado, 23 de outubro de 2010

O que será?


                     O ano nem bem começou e já estamos trabalhando para a conclusão de mais uma jornada escolar. É um tal de: pesquisar textos, explicar literatura, gramática e todos os mandamentos da redação; dividirmo-nos entre o ensino médio e fundamental, criar e repassar exercícios diferentes para cada aula, aulas em salas, aulas passeio, elaboração de provas. Enfim, como se não bastasse, ainda temos que registrar tudo em diário de classe todos os dias. São frequências (e também o somatório delas), notas de trabalhos e avaliações, calcular a média bimestral (de cada aluno) e, a cada final de bimestre, registrar objetivos, conteúdos, situações didáticas, métodos avaliativos.
Gosto de ser professora, pois gosto do que faço. Porém, devo confessar que às vezes sinto-me cansada, desenganada e desacredito de tudo e todos, principalmente do sistema educacional que nos forçam a aprovar pessoas inaptas e as inglórias recaem sobre nós (professores).
                Hoje, ao sair da escola, estava triste, sem ânimo e com o coração apertado. Saí com vontade de não mais voltar a uma determinada turma (1ºB). Senti que os estudantes não estão se importando em aprender nada, estão pouco ligando para adquirir conhecimentos ou pra serem pessoas formadoras
de opinião. O que esses estudantes querem é passar de ano, não importando como ou se aprenderam  alguma coisa. Para isso vale a velha "cola"! A maioria deles não tem nenhuma intenção de cursar um nível superior. Eles só pretendem terminar o ensino médio, quando muito, fazer um curso profissionalizante e arranjar um empreguinho qualquer.
                Nós, que sabemos as dificuldades que a vida nos apresenta em nosso cotidiano, tememos pelo futuro dos jovens que formamos e torcemos para que eles abram seus olhos para um futuro mais promissor enquanto é tempo.






quarta-feira, 20 de outubro de 2010

           Então, você se apaixonou. Finalmente você sentiu o que é amar. E o amor chegou sem pedir licença para tal. Talvez você nem estivesse preparado (a) para sentir isso, mas aconteceu.
Primeiro você bateu o olhar na pessoa e achou que já a (o) conhecia de longa data, mas evitou olhar no olho da pessoa querida, pois você não queria envolver-se emocionalmente. Que besteira é tentar fugir do que se sente! Relutar em amar, só aumenta a aflição dentro de si. Você ficou confuso (a) e aí, quando você se deu conta disso e tentou entregar-se à paixão, essa mesma pessoa que tornou-se tão importante, tão indispensável, a pessoa tão especial pra você, "puxou o seu tapete", confundindo você e ainda culpando você mesmo (a) pelo seu sofrimento emocional. Pois é! E você quase acreditou em sua culpa.
        Seu contato com essa pessoa ´já não existe. Você não sabe onde ela está, nem se está feliz. Você também não está cem por cento feliz, mas o seu coração já não pesa tanto. Você ama e pronto. Quer o ser amado goste ou não, você ama. O que importa é o que você sente e não o que esse alguém possa estar sentindo a seu respeito. Por isso, não sofra. Você é uma pessoa única no mundo e o amor que você sente é só e exclusivamente seu. Agradeça por sentir algo tão intenso, pois tem gente que passa pela vida e não sente nada assim.
Talvez você tenha sido julgado (a) erroneamente, não importa. Ame assim mesmo. Essa doação transforma-se-á em sentimentos que retornarão à você duplamente. Confie e prepare-se. "Curta" esse momento,porque o melhor ainda está por vir.
Beijos da Estrela.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Dia do Professor

Dia do Professor
Gostou do recado? Clique aqui! - Super página personalizada!!!

Se tem uma lembrança boa que guardo até hoje, é a imagem da minha primeira professora. Chamava-se Ednéia. Nunca conheci ninguém mais doce. Lembro, também, que quando tive que mudar  de professora, chorei muito. Era como se fosse minha mãe. Eu tinha confiança nela. Outra professora que me marcou foi a professora de Português, Marlêde Almeida. Ela nos tratava de uma maneira diferente.
Já na Faculdade, meu xodó recaía sobre o professor de Latim e Literatura Latina, Luís Guerra. Ele me chamava  "minha Estrela!" e eu o chamava Guerrinha. Sempre tive por ele um carinho especial. Tínhamos também outros professores, como: Bezerra de Lemos ( Literatura Portuguesa e Brasileira ), Joanes ( idem ), Clínio ( Inglês ), Zezinha e Sônia ( Língua Portuguesa ), Ronaldo ( Literatura Inglesa ), enfim, foram tantos professores que encontrei ao longo  da minha caminhada e, tenho certeza, cada um deixou um pouco de si em mim. Para eles, o meu mais sincero agradecimento. Tenho certeza que não citei todos, mas guardo todos dentro do meu coração. E o muito que aprendi com cada um, tratei de distribuir, hoje, com meus estudantes.
Obrigada, professores, por terem compartilhado comigo seus conhecimentos, seus aprendizados.
Felicito também, nesta data, todos os meus amigos e amigas professores. Que Deus nos dê paciência e ânimo para levarmos adiante esta profissão que, mais que  uma profissão é um sacerdócio.
Parabéns Fátima, Aninha, Mary, Cristiane, Natália, Marinho, Celso (4 cabelos), Douglas, Érica, Dorian, Estela, Sherliane, Mário, Sérgio, Dácio, Gilene, Eduardo, Giselda, Rosa, Alice,Débora,
Beth, todos os professores do Zequinha Barreto e do Pedro Barros.
Beijos da Estrela.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Recados Para Orkut

RecadosOnline
             Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós. Amém.

domingo, 10 de outubro de 2010


Recados de Religiosas


Pai nosso, que estais no céu
Santificado seja o vosso nome
Venha a nós o vosso reino
Seja feita a vossa vontade
Assim na terra como no céu
O pão nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos
A quem nos tem ofendido
E não nos deixeis cair em tentação
Mas livrai-nos do mal.
Amém.

Senhor Deus de infinita bondade e misericórdia, que neste dia tão especial, permitas que se abram os portais
que ligam os homens e os seres superiores. Que haja entre Deus e os homens a interação e a harmonização necessárias para que se propague o amor. O amor divinal que respeita homens, animais e toda a natureza.
Que esse amor que unifica seja lúcido, real e infinito. Que amando-nos e respeitando-nos assim, possamos acabar com o sentimento de ódio que tantas vezes habita nosso coração e, consequentemente, acabar com as guerras em nosso planeta. Que o AMOR seja nossa força regente. Amém
Muita Paz.
Much Peace.
如此的宁静
Beaucoup de paix
Pax Multa
הרבה שלום

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Angelo di mio amore

                 

Anjos
Clique aqui para mandar recados e imagens!


Angelo di mantenere protegge il mio amore dovunque egli è, e con i quali estiver.Coloque nel suo cammino pace, speranza e di fede, oltre a molta felicità. Amen.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Angele Dei

Angele Dei (Latim)


Angele Dei, qui custos es mei, me tibi commissum pietate superna illumina, custodi, rege et guberna. Amen.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Ser só pode ser muito bom

Às  vezes alguns pensamentos nos tornam reflexivos. Hoje, analisando toda a minha vida, desde a pré-adolescência até os dias atuais, cheguei à conclusão de que sempre fui só.
Vivemos ( eu e meus irmãos ) pouco tempo em companhia da nossa mãe. Outro dia, em meio a risos e brincadeiras, minha irmã comentou que ninguém "perdia" mais os filhos do que meu pai e minha mãe. Nós passeávamos muito e, mesmo nesses lugares estranhos, eles nos deixavam à vontade, pois só tinham olhos um para o outro.Apesar do tom da brincadeira sabíamos que era verdade. Não era falta de amor por nós, não! Eles eram verdadeiramente apaixonados e parecia que no mundo não havia lugar para mais ninguém além deles. Isso quer dizer que já éramos meio sós. Quando eu tinha onze anos minha mãe veio a falecer nos deixando sós e sem rumo, principalmente ao meu pai, que ficou transtornado e deixou que fosse com ela, parte dele. Assim, morreu o homem que gostava de passeios junto com a família. Depois disso, ele casou novamente. Ainda assim, permaneci só. Minha irmã não era a minha melhor amiga  e minha madrasta conversava quando estava 'a fim'. Como me sentia? Só. Namorei bastante, me apaixonei uma, duas, sei lá quantas vezes e depois de dez anos sozinha, me apareceu aquele que me propunha tirar da solidão. Casei aos 21 anos. Logo tive filhos e descobri que meu esposo também me deixava só, mas como estava acostumada, ligava ,mas não me deixava abater.Embora, certa vez eu tenha precisado me submeter à uma cirurgia e não tive esposo nem ninguém para acompanhar-me e segurar-me a mão ( minha amiga passou lá e me deu uma palavra de apoio). Meu esposo, que antes era visto como meu salvador, tornou-se também meu algoz. Sofri com isso a longo prazo. Entretanto, tinha os meus filhos que me faziam companhia. E  enquanto os meus filhos eram crianças, estávamos juntos, eu os tinha e eles a mim. Quando eles foram chegando perto dos dez anos, tive medo de morrer como minha mãe e ensinei-lhes a não dependerem de mim. De tão independentes, afastaram-se de mim e fiquei só novamente. Hoje, cada um cuida de sua vida. A solidão, descobri, não me faz mal! Ela só me faz bem.
Descobri em meus animais de estimação ( cadelas ) a companhia perfeita. Cheguei à conclusão de que o ser humano nasceu para viver sozinho. Quando nascemos, nascemos sós e com o nosso próprio esforço. A atitude de nascer, embora inconsciente, é nossa. Pai e mãe são só veículos dos quais fazemos uso para chegarmos aqui. Então, por que estamos sempre fazendo questão de companhia? Se você prestar atenção no silêncio que te rodeia, pode acabar gostando. Tem horas que não quero saber de filhos e nem de ninguém perto de mim. Alguns momentos  prefiro estar sozinha.Acredito que o homem, como os animais, nasceu para ser só. No entanto, vive buscando socializar-se. Se vivemos sós, a tendência é sermos mais verdadeiros, puros, singulares em nossa totalidade. Isso não quer dizer que não devamos nos relacionar com outras pessoas. Apenas devemos respeitar nossa privacidade, dando ênfase à nossa vontade.

Um beijo da Estrela!